segunda-feira, 12 de abril de 2021

MV COLUMBUS - O fim de mais um navio de cruzeiros


 O dia de hoje fica marcado pelo desaparecimento de mais um navio de cruzeiros.

Com efeito, o MV COLUMBUS da extinta Cruise & Maritime Voyages foi encalhado esta manhã nas praias de Alang na India.

Um fim inglório para um navio único, que era dotado de excelentes e luxuosos espaços públicos e que poderia ter continuado a sulcar os mares por muitos anos.

 Construído nos estaleiros de Chantiers de l'Atlantique em França em 1988 para a Sitmar Cruises fez o seu cruzeiro inaugural em 1989.

Depois de ter passado por algumas operadoras o mesmo foi adquirido em 2017 pela C&MV. Com a falência desta companhia foi  vendido por pouco mais de 5 milhões USD para um negociante grego que o revendeu aos sucateiros na India.

O MV Columbus apresentava 63.700 toneladas de arqueação bruta, tinha 247 metros de comprimento, 32 metros de boca e um calado de 8,2 metros.

Possuía 11 Decks para passageiros e tinha capacidade para alojar 1.400 hospedes, sendo a sua tripulação sido normalmente composta por 700 elementos.

O MV COLUMBUS fez a sua escala inaugural a 4 de Novembro de 2017, tendo a ultima a ocorrido no inicio de 2019.  Para os entusiastas aqui fica o link de acesso à reportagem que publicamos aquando da sua escala inaugural em Ponta Delgada

                                  ESTREIA DO MV COLUMBUS 

fotos & texto : Antonio Silva

quinta-feira, 11 de março de 2021

HISTÓRIA MARITIMA DOS AÇORES - Crise Sísmica de São Jorge em 1964

No dia 18 de Fevereiro de 1964 a ilha de São Jorge foi abalada por uma grande crise sísmica que culminou com o rebentamento de um vulcão e que, levou á destruição da Vila das Velas e freguesias próximas.

Atendendo que os abalos que estavam a acontecer nos dias anteriores e que dava a forte previsão da erupção de um vulcão que, possivelmente poderia ocorrer em terra na zona da Vila das Velas, foi decretada a evacuação da população da mesma para o concelho da Calheta, que estaria a coberto daquela ocorrência vulcânica.

Face a toda esta situação decidiram as autoridades enviar um pedido de socorro via rádio à navegação que eventualmente estivesse perto dos Açores para ocorrer à ilha de São Jorge e poder ajudar a evacuação da população das áreas mais atingidas para outra ilha, principalmente para a Terceira.

Felizmente o apelo foi escutado por diversos navios, dos mais variados tipos que de imediato alteraram os seus rumos e dirigiram-se para aquela ilha.

                           

Um dos primeiros navios a chegar á ilha foi o paquete neozelandês REMUERA, que havia partido de Londres com destino à Nova Zelândia pelo Canal do Panamá com 350 passageiros.

Os relatos dizem que o navio se aproximou das Velas e fez descer uma das suas baleeiras que transportou até ao cais existente um dos seus oficiais. Face às condições atmosféricas com mar alteroso  e como a situação sismológica o aconselhava, o navio rumou à vila da Calheta, aonde recolheu entre 350 e 480 jorgenses que transportou para a ilha Terceira. 

Mas, muitos outros navios estiveram envolvidos nesse mesma operação, com realce também para o navio de cabo submarino inglês Mirror que durante alguns dias colaborou com o transporte de sinistrados desde a ilha de São Jorge para a ilha Terceira.

As fotos que abaixo partilhamos, da autoria de uma tripulante daquele paquete neozelandês,  mostram alguns dos momentos dessa delicada operação.



 

Mas igualmente naquele dia ocorreram outros navios, que participaram naquele nobre missão de socorrer os sinistrados daquela ilha.
MIRROR

Desses merece destaque o navio inglês de cabos-submarinos "MIRROR que se encontrava nos mares dos Açores em operações e que segundo relatos da altura, durante alguns dias colaborou no transporte de sinistrados e de mantimentos.

Dos outros navios que participaram nesse transporte, e depois de algum trabalho de pesquisa conseguimos identificar alguns dos mesmos.
Navio de carga e passageiros SALINAS

cargueiro C3 STEEL DIRECTOR

navio tanque VESTAN

navio tanque CLYDE ORE
Igualmente participaram neste operação os navios PLAVIOLA, SEGVIK e PATHIN que também ocorreram a São Jorge neste fatídico dia mas que não conseguimos identificar.

Para os interessados por um pouco mais da historia deste dia, abaixo partilhamos as noticias saídas na comunicação social neozelandesa, com relatos da situação por parte da tripulação do REMUERA.



fotos : blogue Recordando São Jorge, Internet

texto : António Silva   



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

HISTORIA MARITIMA DOS AÇORES - Vapor LEERDAM (2)

Leerdam encalhado no ilhéu do Topo

O mar e os navios sempre fizeram, de uma maneira ou outra parte integrante da história dos Açores e muitas odisseias aconteceram ao longo dos séculos.

O dia de ontem permitiu descobrirmos um episódio ocorrido no já distante ano de 1927, e que felizmente terminou da melhor maneira.

A 7 de Julho de 1927 o navio misto de passageiros e carga LEERDAM (2) da Holland America Line encalhou nos baixios do ilhéu do Topo, na ilha de São Jorge.

Felizmente o encalhe ocorreu na maré baixa, o que permitiu que o mesmo tenha conseguido desencalhar na praia mar. Pelo que está registado o navio prosseguiu a sua viagem com destino a Havana em Cuba. 

Como curiosidade refira-se que o LEERDAM (2) tinha sido construído nos estaleiros de Nieuwe Waterweg na cidade holandesa de Schiedam em 1920 e deslocava 8.854 toneladas. As suas dimensões eram 137 metros de comprimento e 17,64 metros de boca.

fotos : Freguesia do Topo e Internet

texto : António Silva



domingo, 7 de fevereiro de 2021

QUEEN ELIZABETH EM PONTA DELGADA NA DÉCADA DE 60

Um dos mais emblemáticos navios de passageiros do século passado foi, sem dúvida, o majestoso Queen Elizabeth, da célebre Cunard Line. Curiosamente, alguns aficionados por estas lides marítimas referiam que este navio teria protagonizado uma visita a Ponta Delgada, mas ao longo destes anos apenas se sabia que a mesma teria ocorrido na década de 60. 

Depois de algum trabalho de pesquisa, é possível agora avançar que esse importante momento se deu a 3 de novembro de 1966. 
A escala do Queen Elizabeth naquele porto açoriano ocorreu durante um cruzeiro transatlântico, que teve início a 28 de outubro, com partida de New York e escalas na Bermuda, Ponta Delgada, Lisboa, Gibraltar, Tangier, Funchal, Las Palmas, Dakar, Barbados, Curaçao, St. Thomas e regresso a New York. 

O navio fundeou e ainda esteve algumas horas em frente à cidade. É sabido que muitos micaelenses se deslocaram à marginal para observar um dos maiores navios de passageiros/cruzeiros de então. 
Seria interessante se alguém tivesse um registo fotográfico e aqui quisesse partilhar este marco histórico. 

Obrigado.

fotos : Internet
texto : André Moura

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

MARCO POLO - O fim de um dos últimos clássicos navios de cruzeiros ainda existentes

13 Março 2019

A semana que agora começa ficará indiscutivelmente marcada pelo desaparecimento de um dos mais antigos e apreciados navios de cruzeiros que ainda se encontrava em actividade.

Com efeito o MARCO POLO, um dos mais antigos e admirados navios de cruzeiros que ainda se encontrava em actividade será encalhado esta semana em Alang na India, afim de ser desmantelado.

Horta-09  Fevereiro 2013

Foi construído em 1965 pelos estaleiros Mathias-Thesen Werft na Alemanha Oiental como Aleksandr Pushkin para a companhia soviética Báltic Shipping Company, nome que manteve até 1991 quando alterou o mesmo para MARCO POLO.


16 Fevereiro 2011
Sendo na altura um dos melhores navios de passageiros realizou até ao ano de 1970 rotas regulares entre Leningrado, na antiga URSS, e Montreal  no Canadá.

11 Abril 2014

Após alguns anos alternando entre fretamentos e períodos inativo, este paquete foi convertido em navio de cruzeiro em 1990, sendo os seus interiores reconstruídos na Grécia, aonde recebeu igualmente novos motores e a modernização de todos os camarotes e áreas comuns. 


Depois de passar por vários operadores, foi adquirido em 2010 pela então recente operadora Cruise & Maritime Voyages pela qual realizou cruzeiros por todo o mundo até ao inicio de 2020.                                                           

O surto do novo coronavírus, inclusive, foi decisivo no encerramento de sua carreira. Com a paralisação mundial das operações dos cruzeiros, a CMV acabou entrando em recuperação judicial e no passado mês de Julho os seus navios foram a colocados em leilão..


Apesar de ter sido arrematado os novos proprietários, que chegaram a afirmar que pretendiam seguir com a operação do navio, acabaram por vende-lo  para sucateiros no final do mês passado. 

Fevereiro 2013 
O MARCO POLO possuía 176,29 metros de comprimento, 23,55 metros de boca e um calado de 8,2 metros. Tinha capacidade para alojar 820 passageiros e a sua tripulação era normalmente constituída por cerca de 400 elementos. 

11 Fevereiro 2015
Mal sabíamos nós, entusiastas pelos navios de cruzeiros que naquele dia 13 de Março de 2019 iriamos ver pela última vez em Ponta Delgada este clássico e belo navio de cruzeiros.

Ficam aqui as memórias de algumas das muitas escalas preconizadas por este ilustre navio, obtidas por diversos entusiastas nas três principais ilhas do arquipélago.

                  
 





















.

fotos : Andre Moura, Antonio Silva, Antonio Simas, Carlos Carvalho, Jose Couto, Fernando Medeiros,  Jose  Magina

texto : António Silva